MURABEI palestra sobre Modelos Lineares de Efeitos Mistos e sua implementação em R no encontro anual do DIAFON

No início de dezembro passado, tivemos o prazer de participar do encontro anual do grupo de pesquisa DINAFON (Dinâmica Fônica). O objetivo da participação da Murabei foi auxiliar o grupo a desenvolver suas habilidades na utilização do R e melhor compreender Modelos Lineares de Efeitos Mistos.

Em estudos de linguística e, mais particularmente, de fonética é muito comum que diversas medidas sejam feitas sequencialmente. Um exemplo disso seria analisar acusticamente vogais em uma sentença pronunciada por um indivíduo. Vale lembrar que cada pessoa apresenta características vocais próprias (frequência fundamental, frequências de ressonância das vogais, qualidade de voz, fala lenta/rápida, etc…), o que, de forma geral, permite-nos identificar as pessoas através de sua voz apenas.

O problema da análise desses dados reside justamente nessa característica própria de cada indivíduo. Isso implica que os dados não são independentes entre si: vogais pronunciadas por um indivíduo são mais similares entre si do que vogais pronunciadas por outro indivíduo. Bom, isso fere a base da maior parte da estatística tradicional, bem postulada por quem pode ser considerado o primeiro dos estatísticos brasileiros: “Independência ou morte!” (P. A. F. A. J. C. X. de P. M. R. J. J. G. P. C. Serafim, 1822). Caso o objetivo seja estudar efeitos específicos como a polidez (ou fala polida) sobre a frequência fundamental da voz (frases formais tendem a ter tons mais graves), sabe-se que o efeito das diferenças individuais traz muito “ruído” para análise.

MURABEI palestra sobre Modelos Lineares de Efeitos Mistos e sua implementação em R no encontro anual do DIAFON
Retrato idealizado do momento em que P. A. F. A. J. C. X. de P. M. R. J. J. G. P. C. Serafim proclamou “Independência ou Morte” abrindo caminho para a criação da Associação Brasileira de Estatística 162 anos depois.

Para “remover” essa dependência, podem ser adicionados ao modelo efeitos aleatórios de nível ou tendência, transformando os modelos lineares tradicionais em modelos lineares de efeitos mistos. Neste link é possível verificar um tutorial que demonstra a utilização dos modelos lineares de efeitos mistos para dados de fonética e linguística: uma ótima forma de apreender estatística e fugir um pouco dos datasets de macroeconomia.

Gostaria de agradecer a Profa. Dra. Eleonora Albano (UNICAMP) e a Profa. Dra. Beatriz Raposo de Medeiros (USP) pelo convite e a todos os demais participantes pela atenção e discussões técnicas que tivemos. Segue abaixo o link do evento, onde é possível encontrar informações sobre os demais participantes e suas respectivas linhas de pesquisa.

MURABEI palestra sobre Modelos Lineares de Efeitos Mistos e sua implementação em R no encontro anual do DIAFON

https://www.cle.unicamp.br/index.php/encontro-anual-do-grupo-de-pesquisa-dinafon